25 de agosto de 2010

Metamorfose Feminina

Como pode uma mulher ter tantas faces, ser de tantas fases e não conseguir decidir suas frases?

Do lado de fora nenhuma resposta soa aos ouvidos masculinos, do lado de dentro a facilidade no encontro às respostas das mais inquietantes indagações masculinas. A superficialidade da reflexão não nos leva a lugar algum e isso vale para ambos os sexos, porém, nós mulheres somos tão complexas (...) que para melhor compreensão de nossa mente, temos sempre um estudo especial voltado aos nossos comportamentos. As mulheres negam seus sentimentos, amam loucamente, montam seus próprios muros de proteção, afastam aquilo que mais querem, criam contos de fadas, atraem aquilo que não querem de fato, brincam, usam, iludem-se facilmente e ao mesmo tempo consomem-se demais pelo que deveriam fazer e pelo que não deveriam ter feito; há quem as ame em toda sua inconstância, ou quem às repudiam por serem tão voláteis assim.

(...)

Num curto espaço de tempo a mutabilidade feminina mostra sua face, muitas vezes propositalmente: somos a inconstância na forma humana, a Metamorfose Ambulante do Raul, a insaciável sede e a necessidade animalesca do desconhecido. Ao longo dos séculos as mulheres destacam sua inconstância na forma de pensar e agir, tornando-se mais fortes, propondo-se enfrentar novos obstáculos sem medo de sair da mesmice social, do cabresto e da negação por sua ascensão. Defendo a teoria da inconstância pela renovação do ser, o que está disposto a mudar a todo tempo é denominado inconstante e mutável, logo, nós mulheres bebemos desta mesma fonte desde o momento em que começamos a evoluir.


“É chato chegar
A um objetivo num instante
Eu quero viver
Nessa metamorfose ambulante”

Metamorfose Ambulante - Raul Seixas

Em homenagem a minha amiga Laiza Gabriela e aos nossos amores, desamores e àqueles que lutam para nos compreender um dia.

Talita Oliveira

3 comentários:

  1. Ainnn...é meu, meu e meu...mais perfeito impossível. Mulher realmente é um ser inconstante e eu então...uma coisa é certa depois de ler o texto cheguei a uma conlusão fatídica em minha vida.
    Obrigada amigaaaa...=]

    ResponderExcluir
  2. Sim, são complicadas
    E tento entendê-las cada vez menos
    Pois não há mistério, é só segredo
    São pessoas normais
    Claro, muito mais complexas, lindas e inconstantes
    Que nós, homens
    Deve ser por isso que faço parte do grupo que as amam

    ResponderExcluir
  3. "Mulheres cabeça
    E desequilibradas
    Mulheres confusas
    De guerra e de paz"

    Boas, ruins, complicadas, guerreiras, sensíveis...um misto de mulher força trazem a 'nova mulher'. A mulher da contemporaneidade que mostra suas garras e não perde a feminilidade. Eis que aí estamos. Mulheres!!

    ResponderExcluir