4 de dezembro de 2011

Patologias do amor

O amor é uma doença incurável, um vício insaciante, quanto mais se sofre, mais ainda quer-se arder em dor, como um ser envenenado, que dispensa sua cura, pois, seus olhos estão completamente fechados para tudo que ocorre à sua volta.


É mais difícil largar do que se imagina, sequer pensar em resistir... ele arrebata nosso coração de tal forma que coloca-nos de ponta cabeça, leva-nos à noites mal dormidas seja de alegria ou tristeza... flores em dias simplórios, chances de declarações perdidas, cartões espalhados pela casa, choros inoportunos, sensações de angústia e dor, extrema felicidade e excitação, são as coisas mais bobas e infantis, os olhares mais sérios e seguros, o desejo pelo "infinito" ou a dor do adeus... como é dificil abandonar, por mais mal que chegue a nos causar, dizer não ao que mais se deseja, ao que tanto nosso coração pulsa sem sequer pedir nosso consentimento... é demais, para um ser mortal e amante, que tem sede de amar, mesmo em plena consciência do sofrer.


Custa-me os céus, mas só Deus sabe quantas vezes tive de ir ao inferno, de provar dos mais amargos gostos, as mais terriveis fraquezas, para então sentir o que ao mesmo tempo me fazia feliz. Amar, é tão inevitável quanto o sofrer, machuca e fere como o mais forte guerreiro gladiante... sei que por vezes estes sentimentos chegam a nos transformar em meras mariotes de circo, mudam toda nossa direção, retiram quase que por completa nossa razão, nosso raciocínio sob o certo e o errado, o bom e o ruim, o indigno e o valoroso.


O impacto das feridas deixadas por nossos amores e desamores são, em determinadas pessoas, muito profundas, se esse sentimento for tão importante assim em sua vida, dê todas as chances que são para você necessárias, contudo, se com o passar dos dias, dos meses ou até mesmo dos anos isso não se modificar, lembre-se que ainda existem outras dores mundo à fora, outros amores viciantes, outros venenos latentes que podem fazer você sofrer, mas que enquanto habitar em você, fará de tudo pra mostrar-lhe os céus na sua profunda verdade, e não te causará o mal em torno de seus sacrifícios.


Talita Oliveira


"É preciso sofrer depois de ter sofrido, e amar, e mais amar, depois de ter amado". (Guimarães Rosa)