18 de setembro de 2012

Possibilidades

Ao longo dos séculos, o ser humano vem buscando verdades absolutas sobre determinados fatos e sentimentos, posicionando-se contra a importante e relevante ação da relatividade dos fatos sobre a vida. Diante disto, vivemos entre tantas incertezas e percebemos que tudo ao nosso redor esta passivo à sofrer certas mudanças durante todo o tempo, compreendendo então que existem diversos ângulos sobre peculiares situações, que não existe definição findada para absolutamente nada, sugerindo então, a possibilidade de chegarmos a tantos outros novos resultados "finais",  e principalmente, a tentarmos buscar a felicidade, encontrar um amor, acertar em nossas escolhas por tantas outras vezes, que peculiarmente, dependerá unica e exclusivamente da coragem pessoal de enfrentarmos novos desafios a cada erro ou a cada momento voluntariamente deixado para trás.
 
Deste modo, podemos retirar algo de valoroso de qualquer circunstância que venha a surgir em nosso trajeto, seja ela de cunho benéfico ou não, tal experiência poderá nos ajudar a ampliar o nosso ser, seja para confirmar aquilo em que já sabiamos, discordar de determinadas visões de mundo ou até mesmo para modificar o nosso ponto de vista.
 
Ao longo destes anos, diante dos inúmeros pontos de erros e acertos/ perdas e ganhos, vamos lentamente aprendendo a viver quando aceitamos a incerteza dos fatos, ou melhor, a imprevisibilidade do nosso futuro, e, ao mesmo tempo, concedemos crédito aos nossos instintos, de modo a não punirmos a nós mesmos pelos erros de percurso ocasionados na linha da vida, buscando agir de forma contrária, logo, aprendendo com os mesmos, deixando que nosso coração carregue-nos, como barcos posicionados em favor ao vento, querendo encontrar aconchego, uma parada, um ponto final... ou melhor, um novo ponto final que trará o começo de novas perspectivas, de outros e tantos mais importantes novos prazeres e momentos que todo ser humano almeja, o encontro da paz, do amor e da felicidade ao lado daquele a quem dispusermos entregar nossos melhores sentimentos, com todos seus defeitos e suas imperfeições, porém, únicos para nós e para aquele que o receber de todo bom grado e amor.
 
O sentido do viver esta ligado intrinsecamente ao saber aceitar-se e enfrentar decisões contraditórias, escolher e renunciar, compreender o outro em toda sua plenitude, reconhecendo então, que não temos certeza sobre como nossas decisões atuais irão impactar em nosso futuro próximo, pois, não temos de modo algum a visão futura acerca do que aconteceria se tivessemos optado por usar outras palavras, fazermos a escolha sobre outras coisas, outros lugares ou até mesmo por outras pessoas.
 
Talita Oliveira
 
"O amor é tão mais fatal do que eu havia pensado, o amor é tão mais inerente quanto a própria carência, e nós somos garantidos por uma necessidade que se renovará continuamente. O amor já está, está sempre, e assim o faz durante todo tempo. Falta apenas o golpe da graça, que por sua vez, chama-se paixão" Clarice Lispector

16 de julho de 2012

Os processos da maturação

           A definição da palavra "maturidade" está intrinsecamente ligada à noção de responsabilidade, logo, ser maduro significa primordialmente assumir a posição de responsabilidade por tudo aquilo que nos acontece em nosso ciclo da vida.

          Diante disto, compreende-se que tal conceituação é diferente da ação de assumir a culpa por algo, ou seja, se existe um compromisso importante e por algum motivo será n...ecessario se ausentar, mesmo são sendo sua culpa, ainda assim, você é responsável por sua ausência, deste modo, a relação e definição de maturidade neste caso está vinculada a maneira em que você irá se posicionar frente à ausência de tal compromisso.

          Neste sentido, pesquisas revelam que existem outros aspectos da maturidade, que partem para além, relevando ainda a apresentação de dois graus que podem ser analisados frente aos acontecimentos: A maturidade como desenvolvimento e a maturidade de momento.

          A maturidade como "desenvolvimento" é compreendida como a maturidade que é alcançada e não mais perdida pelo homem ao longo de sua vida, são reflexões e conclusões e ações maturamente analisadas sobre determinados acontecimentos.

          Por outro lado, a maturidade como "momento", faz parte das diversas situações em que todos nós agimos de forma adolescente ou até mesmo infantil, mesmo que, em um nível, ainda tenhamos uma maturidade desenvolvida e adquirida, por outro lado, flutuamos entre estados de ações infantis, considerando assim que mesmo em fase adulta, todos os homens ainda que maduros e responsáveis podem agir de forma infantil e adolescente, de modo a não considerar as conseqüências de seus atos.


"A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft)


Talita Oliveira

Freud nem sempre explica

              No segmento social presente, neurologistas e demais pesquisadores da mente humana afirmam que apesar de obter dignissima relevância popular, a psicanálise não mais se encaixa com o que atualmente compreendemos sobre o funcionamento do cérebro, bem como pela causa da mesma ter-se fechado para as demais experiências tanto de cunho religioso quanto místico, limitando-se e ao mesmo tempo tornando-se insuficiente para os diagnósticos em respeito ao homem. Introduzindo a notável percepção de que num futuro muito próximo, psicanalistas, espiritualistas e neurocientistas trabalharão de maneira conjunta.

              Deste modo, a famosa frase clichê "Freud explica", advinda do século XX não corresponde totalmente às necessidades do psique humano do século XXI. Isto porque compreendemos bem, o quanto o ambiente é um fator potencialmente determinante no processo de vivência de cada indivíduo, denotando então, que viveremos de acordo com os sentimentos que cultivarmos ao longo de nossas vidas.

               E para embasar tais afirmações, cabe então: “Se como indivíduos somos produtos do meio, somos também produtos de uma época, e como tal, muda de tempo em tempo e pode até mesmo variar de cultura para cultura". (Silvio Carvalho - Prof. Psicologia Social da UFF).

              Para efeitos conclusivos, pensemos mais sobre nossas atitudes diárias, primordialmente aquelas em que fogem nossa aprovação, ou à moral social, pois, como Freud afirmava em suas citações: "O pensamento é o ensaio da ação"... vamos então dar o primeiro passo para a transformação, nunca permitindo que nenhuma reflexão filosófica nos tire a alegria de usufruir das coisas simples da vida.

(Talita Oliveira)

19 de março de 2012

A procura da paciencia

Tenho em diversos momentos da vida, sentido como se as pessoas não soubessem mais o que é ter dentro de si o sentimento da paciência, não apenas citando as relações pessoais, mas, o conjunto das relações interpessoais movidas pelo dia a dia, é percebido que todos literalmente perderam em algum lugar, entre o tempo e o espaço a paciência, e incrivelmente não sabem mais onde encontrá-la, confundindo-se muitas vezes como uma pedra preciosa ou como o ouro perdido em meio ao mar. É certo que a paciência é uma virtude, delicada demais e ao mesmo tempo de extrema importância, pois, sem a mesma, o convívio social seria intolerante, de modo que a mesma não pode ser misturada com a tolerância em excesso, ou até mesmo com a aceitação da falta de qualidade. Deste modo, analisa-se que, uma pessoa paciente não é aquela que por ventura acaba por aceitar a tudo, mas, é aquela que de fato tem domínio sobre si.
Sendo assim, quando se afirma que as pessoas estão cada vez mais perdendo a paciência, quer dizer basicamente que elas estão pondo a perder o autocontrole e o domínio da vontade própria deixando-se levar muito mais pelo sentimento da emoção e não pela razão, mesmo que ao relatarmos o nosso ponto de vista, pensemos que estamos a agir sempre racionalmente.
Os mais renomados cientistas afirmavam que todo ser humano que tem paciência, obtém o que deseja Newton, ao afirmar que suas descobertas mais valiosas foram geradas muito mais pela pratica paciente do que através de seus próprios talentos. A paciência nada mais é do que uma valiosa e rara virtude que deve ser perpassada por todas as pessoas, pois, pressupõe ao exercício de sempre se colocar no lugar das outras pessoas, levando em reflexão que por muitas vezes, ter paciência significa unicamente ter humildade para respeitar as opiniões e expressões alheias e adversas, mesmo que delas você esteja a discordar, afinal, nos dias de hoje, para não viver, mas SOBREVIVER com o mínimo de qualidade de vida necessário, é preciso ter ou praticar a paciência.
Talita Oliveira

7 de fevereiro de 2012

O destino do acaso

É válido analisar que não se pode recusar a existência do destino no percurso da linha da vida de cada ser humano, pois, certos acontecimentos são, em sua grande maioria, inevitáveis em nossas vidas, porém, muito menos tornar inaceitável o poder que tem o acaso, em transformar tudo aquilo que foi minuciosamente planejado por nós. O fato é que gastamos tanto tempo de nossas vidas planejando um futuro que muitas vezes acaba por se dar de maneira incerta, na medida em que o acaso interfere de maneira vigente dentro da trajetória comum humana, do segmento natural do destino.

Sendo assim, o importante é saber que o acaso sempre se fará presente em nosso ciclo de vida, que em muitos momentos ele surgirá para desordenar tudo aquilo que estavamos por concretizar, bem como poderá surgir para transformar nossa vida, mudar nossos planos e encaixar de vez, de maneira benéfica a nossa história, logo, uma coisa é certa, não podemos controlar, apenas tentar compreender (...)


Poderia escrever as mais intrigantes formas de compreender o destino, mas, o acaso é meu maior desejo de reflexão, afinal, nossos sonhos tornam-se mais doces na medida em que o acaso dá o toque final do reordenamento da vida, na medida em que nos surpreende da forma mais inacreditável, onde o mais inimaginável acontece, onde o inesperado surge e torna-se parte fundamental, necessária e de extrema importância para nós.


O destino é a realidade dada por Deus, que denotanos o dever de proseguir com planos e projeções diárias, ao levantarmos todos os dias. O acaso é a surpresa que surge neste meio, aquilo que pode ou não causar-nos bem, mas que ao chegar, muda TODO o rumo do destino, fazendo-nos enxergar que NADA na vida é como achavamos que seria, que nada acontece do modo como desejamos, sonhamos ou queremos para nós... Não se pode compreender qual será o destino de cada acaso, pode-se apenas torcer para ser a melhor casualidade, contudo, de maneira pessoal e particular digo: os sonhos e planos os quais já tive um dia, nunca foram tão gostosos quanto a mão do acaso em cometer à minha vida, momentos de intensa felicidade.


"Engana-se aquele que está a pensar que nada de diferente ou de tão mágico ainda há por surgir em sua vida, o acaso sempre faz com que o destino meta os pés pelas mãos."



Talita Oliveira