18 de setembro de 2012

Possibilidades

Ao longo dos séculos, o ser humano vem buscando verdades absolutas sobre determinados fatos e sentimentos, posicionando-se contra a importante e relevante ação da relatividade dos fatos sobre a vida. Diante disto, vivemos entre tantas incertezas e percebemos que tudo ao nosso redor esta passivo à sofrer certas mudanças durante todo o tempo, compreendendo então que existem diversos ângulos sobre peculiares situações, que não existe definição findada para absolutamente nada, sugerindo então, a possibilidade de chegarmos a tantos outros novos resultados "finais",  e principalmente, a tentarmos buscar a felicidade, encontrar um amor, acertar em nossas escolhas por tantas outras vezes, que peculiarmente, dependerá unica e exclusivamente da coragem pessoal de enfrentarmos novos desafios a cada erro ou a cada momento voluntariamente deixado para trás.
 
Deste modo, podemos retirar algo de valoroso de qualquer circunstância que venha a surgir em nosso trajeto, seja ela de cunho benéfico ou não, tal experiência poderá nos ajudar a ampliar o nosso ser, seja para confirmar aquilo em que já sabiamos, discordar de determinadas visões de mundo ou até mesmo para modificar o nosso ponto de vista.
 
Ao longo destes anos, diante dos inúmeros pontos de erros e acertos/ perdas e ganhos, vamos lentamente aprendendo a viver quando aceitamos a incerteza dos fatos, ou melhor, a imprevisibilidade do nosso futuro, e, ao mesmo tempo, concedemos crédito aos nossos instintos, de modo a não punirmos a nós mesmos pelos erros de percurso ocasionados na linha da vida, buscando agir de forma contrária, logo, aprendendo com os mesmos, deixando que nosso coração carregue-nos, como barcos posicionados em favor ao vento, querendo encontrar aconchego, uma parada, um ponto final... ou melhor, um novo ponto final que trará o começo de novas perspectivas, de outros e tantos mais importantes novos prazeres e momentos que todo ser humano almeja, o encontro da paz, do amor e da felicidade ao lado daquele a quem dispusermos entregar nossos melhores sentimentos, com todos seus defeitos e suas imperfeições, porém, únicos para nós e para aquele que o receber de todo bom grado e amor.
 
O sentido do viver esta ligado intrinsecamente ao saber aceitar-se e enfrentar decisões contraditórias, escolher e renunciar, compreender o outro em toda sua plenitude, reconhecendo então, que não temos certeza sobre como nossas decisões atuais irão impactar em nosso futuro próximo, pois, não temos de modo algum a visão futura acerca do que aconteceria se tivessemos optado por usar outras palavras, fazermos a escolha sobre outras coisas, outros lugares ou até mesmo por outras pessoas.
 
Talita Oliveira
 
"O amor é tão mais fatal do que eu havia pensado, o amor é tão mais inerente quanto a própria carência, e nós somos garantidos por uma necessidade que se renovará continuamente. O amor já está, está sempre, e assim o faz durante todo tempo. Falta apenas o golpe da graça, que por sua vez, chama-se paixão" Clarice Lispector

Nenhum comentário:

Postar um comentário